×

Atenção

JFolder::files: O caminho não é um diretório. Caminho: /home/cmalhandra/www/images/NOTICIAS/2017/NOTICIAS/MATERIA_PREVIDENCIA

×

Aviso

There was a problem rendering your image gallery. Please make sure that the folder you are using in the Simple Image Gallery plugin tags exists and contains valid image files. The plugin could not locate the folder: images/NOTICIAS/2017/NOTICIAS/MATERIA_PREVIDENCIA

1489845168fb271880d6616f61e84538d184eca4c1O poder legislativo municipal de Alhandra, realizou nesta sexta – feira , 17 de março às 9hs no Ginásio de Esportes da Escola Municipal Zélia Correia do Ó, sessão solene para discutir a reforma da previdência social, imposta pelo governo federal, a sessão foi presidida pelo Prof. Valfredo José (PT), que contou com a presença maciça de agricultores, profissionais da Educação, saúde, trabalhadores e estudantes que lotaram o ginásio da escola.

Fizeram-se presentes ao eventos O Diretor da FETAG Rosivaldo, Dr. Bruno Chianca – Assessor Jurídico da FETAG , Mauro Cavalcante - Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alhandra ,Professora Darcilene - Presidente dos Servidores Público Municipal, Hidelbrando Monteiro - Presidente da Associação dos trabalhadores Rurais João Gomes, Fabiano Veloso - Representante do Executivo Municipal, Deputado Federal - Luiz Couto (PT) ,Deputados Estaduais Frei Anastácio (PT) e Branco Mendes (PEN) e os Vereadores Duy Braga (PMDB), Claúdio Januário (PSDB), Del da Galinha (PMDB),Moizés Marinho (PTB), João Ferreira (PHS) e Francildo Trajano (PCdoB).

Durante o debate foram discutidos os principais pontos da reforma da previdência tratadas na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287,no texto da reforma proposta pelo governo federal, o trabalhador, seja homem ou mulher, contribua durante ao menos 25 anos com o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e estabelece idade minima de 65 anos para ter acesso ao benefício.

A reforma prevê que os homens de 50 anos ou mais e as mulheres com 45 ou mais de idade entrarão nas regras de transição. Para esses casos, o governo impôs um outro cálculo para acesso ao benefício. Os trabalhadores deverão trabalhar mais 50% do tempo restante ao que faltava para se aposentar.
Por exemplo: um homem de 51 anos que estava a cinco anos de conseguir o benefício, vai precisar trabalhar 50% a mais do que esse período. Ou seja, os cinco anos da regra anterior mais dois anos e seis meses como "pedágio".
No caso específico desse trabalhador, portanto, ele precisará trabalhar até os 58 anos e 6 meses, em vez de parar aos 56 anos. O mesmo vale para as mulheres, só que a partir dos 45 anos.

MOMENTOS DA SESSÃO

“A PEC 287 é a destruição da previdência pública, é a PEC da morte, das maldades, da penalidade, das crueldades, temos que derrotá-las ela é contra todos os trabalhadores do campo e da cidade”

( Deputado Federal Luiz Couto )

“ Esta reforma da previdência vai destruir a vida dos trabalhadores (as) do campo e da cidade” ( Dep. Estadual Frei Anastácio)

“Esta reforma pode ser feita sim, mas corrigindo as grandes aposentadorias e protegendo o pequeno trabalhador” (Dep. Branco Mendes)

“A FETAG/PB encontra-se lutando por seus dirigentes e 214 sindicatos na Paraíba de forma intransigente contra este atentado contra as famílias trabalhadoras deste pois, que é esta proposta da PEC da reforma da presidência” ( Dr. Bruno Chianca - Acessor Jurídico d FETAG)

“ Direito adquirido é direito garantido, que o homem do campo não merece pagar pelo erro dos outros” ( Mauro Cavalcante – Presidente do sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alhandra)

Ao final da Sessão foi aprovado "Moção de Apoio" aos trabalhadores brasileiros.

 

{gallery}2017/NOTICIAS/MATERIA_PREVIDENCIA{/gallery}